Header image  
COMO LIDAR COM RECURSOS NATURAIS  
line decor
   - União Protetora do Ambiente Natural - UPAN
line decor
 
 
 
 




Sumário do Livro

 

APRESENTAÇÃO

Meio ambiente e o cuidado com os resíduos: A necessidade de um olhar interdisciplinar p. 5
Paulo Peixoto de Albuquerque e Manuel Strauch

PARTE I

Uma pedagogia de política ambiental: gestão de resíduos p. 15
Paulo Peixoto de Albuquerque
1. O contexto da contemporaneidade: por que pensar a problemática ambiental p. 17
2. Na realidade plural: o paradoxo de uma ambiente “natural” que se perde p. 24
3. Na Realidade plural: Pensar o meio ambiente é  pensar projetos de formação e capacitação cidadã
p. 26

Gestão de recursos naturais e resíduos p. 29
Manuel Strauch
1. O problema lixo: um breve retrospecto p. 29
2. Balanços Ambientais: fundamentos para decisão p. 32
3. Da gestão da matéria prima à gestão de resíduos p. 37
3.1. Uma economia circular de materiais p. 39
3.2. Evitar e reduzir p. 44
3.2.1. Custos externos da geração de resíduos p. 49
3.3. Reciclagem e tratamento p. 52
3.3.1. Separação para a valorização p. 57
3.3.1.1. Segregação na fonte e coleta seletiva p. 59
3.3.1.2. Postos de Entrega Voluntária (PEV) p. 65
3.3.1.3. Embalagens ou produtos retornáveis p. 66
3.3.1.4. Triagem em usinas de triagem p. 66
3.3.2. Tratamento de resíduos p. 67
3.3.3. Aproveitamento energético p. 69
3.4. Destinação final – Aterro p. 71
3.5. Esquema geral de gestão de resíduos p. 72
3.6. Tecnologias
p. 74

PARTE II

Elementos para uma concepção de resíduos p. 85
Werner Schenkel
1. Introdução p. 85
2. O desenvolvimento histórico até o presente p. 86
- O período arcaico
p. 87
- O período do desenvolvimento (1972 a 1996) p. 89
- O período moderno (1996-2020) p. 93
3. Os desdobramentos jurídicos p. 95
4. O caminho para o fluxo de materiais p. 98
5. Concepções de gestão de resíduos e balanços de resíduos p. 101
6. Conclusão
p. 103

Características das inovações no setor de gestão de resíduos e o padrão distinto do uso da incineração de resíduos na China p. 105
Yuhong Cen
1. Introdução p. 105
2. Os paradigmas da gestão de resíduos e o desenvolvimento sustentável p. 107
3. Gestão de resíduos em práticas e mecanismos de inovação p. 113
4. O padrão distinto de uso da incineração de resíduos na China p. 122
5. Algumas características da inovação na gestão de resíduos na China e apresentação de um caso p. 133
6. Conclusão e observações finais
p. 140

Gestão de resíduos sólidos nas Filipinas p. 144
Sonia Mendoza, Arlen Ancheta e Froilan Grate
1. As Filipinas – um resumo p. 144
2. Perfil dos resíduos p. 145
3. A Comissão Nacional de Gestão de Resíduos Sólidos p. 149

4. Quais são os desafios? p. 151
5. Zero Resíduos p. 153
6. Mother Earth Foundation p. 154
7. Parcerias e alianças p. 154
8. Estratégias de gestão de resíduos p. 155
9. As Centrais de Recuperação de Materiais e o Conceito de Zero Resíduo p. 155
10. Medidas simples tomadas por comunidades que conseguiram aplicar com êxito o esquema de zero resíduo p. 156
11. Conclusão
p. 157

A Lei de Lixo Zero em vigor na cidade de Buenos Aires: uma alternativa ao desperdício, destinação em aterros e incineração dos resíduos p. 161
Cecilia Allen
1. O lixo na cidade p. 162
2. O fracasso do modelo dos aterros sanitários p. 165
3. A gestão de resíduos na cidade e a necessidade de uma mudança profunda p. 165
4. O setor informal recupera parte dos materiais recicláveis p. 165
5. Lixo Zero: a alternativa ao desperdício e à poluição p. 167
6. O que é Lixo Zero? p. 167
7. Lixo Zero na cidade de Buenos Aires p. 170
8. Apresentação do projeto de lei de Lixo Zero na câmara de vereadores de Buenos Aires p. 171
9. Reflexões finais p. 176

Projeto Sócio-ambiental em São Leopoldo - Coleta seletiva e compostagem orgânica p. 180
Luiz Henrique do Nascimento e Cláudia Martins
1. Coleta Seletiva Compartilhada p. 181
2. Compostagem Orgânica
p. 183

Vermicompostagem de lodo da ETE p. 184
Anderson Etter, Sinclair Gonçalves e Guilherme Teixeira
1. Processo de Compostagem p. 185
2. Formação da Pilha de composto p. 185
3. Manejo da pilha de compostagem p. 186
4. Processo de vermicompostagem p. 187
5. Manejo da vermicompostagem
p. 187

PARTE III

Instrumentos de política ambiental p. 191
Manuel Strauch
1. Proteção ambiental também como fator de mercado p. 202
2. Legislação sobre resíduos sólidos no Brasil p. 204
3. Consórcios e parcerias regionais
p. 209

Em tempos de agressões, de mudanças e desequilíbrio do meio ambiente, entre o dito e o feito é muito difícil concluir! p. 213
Paulo P. de Albuquerque e Manuel Strauch

Autores p. 219


 
 
 

 

Resíduos:

UPAN

Editora Oikos

Apoio:
FUNDEMA